A comunicação faz sentido em um contexto

Caso contrário, é apenas como um elemento sem nexo em uma imagem

Aproveitando o momento político que estamos vivendo e diante de inúmeras situações que observo, vejo muito sentido em falar sobre contexto, tema que trato em meu livroUma Gramática Intuitiva. O que rege a nossa comunicação é, em grande medida, o contexto em que nos comunicamos. O contexto é coadjuvante, participa no que estamos compreendendo e comunicando. Por contexto me refiro a vários aspectos da comunicação. Quem recebe e quem emite a mensagem, seu receptor/emissor? Qual o entorno, os fatos principais e secundários à comunicação. Qual o tempo? Qual o espaço? O que aconteceu entre os falantes antes e onde eles estão agora? O que se espera que vai acontecer e onde vão estar? Há uma série de condicionantes e determinantes do significado e da significação, que é a forma dinâmica do significado. Esses aspectos que condicionam e determinam têm papel tão importante na comunicação quanto o que é dito com as palavras. Porque as palavras não são usadas independentemente desses fatores, e assim eles são parte delas.

A nossa escolha de palavras, expressões, as formas de organizar a frase, tudo isso está relacionado ainda com quem nos ouve, e com o que queremos dizer, tanto no nível daquilo que comunicamos concretamente como no nível do que fica dito nas entrelinhas, e muitas vezes – tantas vezes – a mensagem das entrelinhas é mais eloquente do que a das linhas.

Ninguém questiona que o contexto comunica. É como se, sabendo o contexto, soubéssemos também o que esperar da comunicação. Com o contexto, nos preparamos para o que vai ser informado, e ao fazermos isso “ajudamos” a informação a fazer sentido. Da mesma forma, é o contexto que nos diz o que é certo e o que errado. Isso nos mostra que não existe um certo absoluto, nem um errado absoluto, para o conhecimento da língua materna. Depende do contexto.

Existe, porém, um corte importante, relacionado com a habilidade que estamos usando: de falar ou de escrever. A primeira grande diferenciação do contexto acontece nesse nível: da fala e da escrita.

Um ponto a insistir muito é o da importância do contexto para julgar o que é certo e o que é errado quando estamos tratando da nossa língua. De fato, como os falantes nativos que somos, nosso foco deve estar nas nossas ideias e em quem vai tomar conhecimento delas através da nossa comunicação, e isso quem nos dá é o contexto.

Se você pensar bem, considerar o contexto em que algo acontece para julgar adequação e relevância é algo que faz sentido quando estamos falando de tudo, e não apenas dos fatos da língua!

Texto publicado no jornal A Hora, de Lajeado, em 02/09/2016

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Olá!

Clique e entre em contato agora mesmo, ou encaminhe uma mensagem para contato@cristinaschumacher.com e retornaremos em breve!

× Entre em contato já!